0

De volta a blogar

Posted by Railton Da Silva
Após muitos meses sem escrever para O POETA E PALHAÇO devido a correria e aos afazeres da vida, enquanto estudante de mais uma graduação, militância com os movimentos sociais e até mesmo as atividades profissionais desenvolvidas, estamos de volta.


Meio enferrujado, retornando com os escritos, mas com previsão de novos textos, inclusive, com ideias novas para o blog. Logo, logo novidades. Mas vamos aos poucos retornando as atividades.

Links para esta postagem |
0

"Xangô Rezado Alto" - Centenário do quebra de 1912

Posted by Railton Da Silva

Assessoria

A Universidade Estadual de Alagoas promove, nos dias 01 e 02 de fevereiro, uma série de atividades para lembrar o “Quebra dos Xangôs de 1912”, evento que marca a história de perseguição aos adeptos de religiões de matriz africana. A programação ocorrerá na Praça dos Martírios, em Maceió, mesma cidade que sediou os fatos hediondos contra a cultura negra há cem anos.


Na quarta-feira, 1º de fevereiro, acontecerá a Noite do Xangô Rezado Alto, com cortejo das comunidades Terreiro; apresentação de grupos artísticos, saudação aos ancestrais e toque do Xangô com comunidades presentes. As atividades terão início às 14h, com cortejo saindo da Praça D. Pedro II, em direção à Praça dos Martírios.
 
O cortejo terá participação da Comunidade de Terreiros de Alagoas; do Coletivo Afro-Caeté; do Boi Alegria (Zona Sul); do Boi Xique-Xique; do Maracatu Axé Zumbi; do Baque Alagoano; do Afoxé Odo Iyá; Airê Iorubá, do Projeto INAÊ, Escola de Samba Girassol e Maracatu Nação Acorte de Airá.


Às 18h, haverá apresentação de Hip hop, com Guerreiros Quilombola e Afoxé Oju Omim Omorewá. Logo após, sobe ao palco Wilma Araújo cantando “70 anos de Clara Nunes e em em seguida o cantor Igbonan Rocha com o show “Coisa de Nêgo”, com participação especial da Escola de Samba Girassol. A noite será encerrada com Orquestra de Tambores e a banda Vibrações.

Já na quinta-feira, 02, na Praça dos Martírios, além da apresentação de grupos artísticos, a partir das 17h30, Jurandir Bozo traz o show “Pros pés”, com participação dos grupos de coco de roda “Xique-xique”, do Jacintinho e “Pau-de-arara”, da Pitanguinha. A noite é encerrada com a sambista baiana Mariene de Castro.

Segundo o reitor da Uneal, professor Jairo José Campos da Costa, a ação está marcada na mesma data na qual ocorreu o “Quebra”, em 1912. “Queremos lembrar que esse é um momento para combatermos todo tipo de intolerância em nosso Estado”, destaca o gestor. Ele também ressalta que é preciso valorizar a cultura local. “Nossa pretensão é levantar a auto-estima do alagoano, mostrando que esse povo possui manifestações culturais valiosas”, completa.

O projeto “Xangô Rezado Alto” é financiado com recursos do Fundo Nacional de Cultura, Ministério da Cultura, com contrapartida financeira da Uneal. Segundo o vice-reitor, professor Clébio Correia, estão previstas ainda mais duas etapas, com a realização de um prêmio de incentivo às expressões artístico-culturais de matriz africana e de um congresso para debates sobre a cultura afro-brasileira e alagoana, reunindo estudiosos de Alagoas e de outros Estados do Brasil.

São parceiros do projeto: Universidade Federal de Alagoas, Centro de Ensino Superior de Maceió, Secretaria de Estado da Cidadania, Mulher e Direitos Humanos, Instituto de Terras e Reforma Agrária de Alagoas, Instituto Histórico e Geográfico de Alagoas, Secretaria de Estado da Cultura de Alagoas, Secretaria de Estado da Educação, Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional/AL, BRASKEM, Federações e Comunidades Terreiro de Alagoas, Cojira/AL Articulação pela Cultura Popular, Afro Alagoana e Instituto Zumbi dos Palmares.

O projeto Xangô Rezado Alto – Centenário do Quebra dá continuidade e fortalece o atual movimento de resgate da identidade negra maceioense, desencadeado por instituições e lideranças das Comunidades Terreiro de Maceió, com a participação efetiva da Universidade do Estado de Alagoas – UNEAL.

PROGRAMAÇÃO COMPLETA

. Festa Popular – Noite do Xangô Rezado Alto

. Congresso Alagoano de Cultura Afro Brasileira

. Exposição Presença Negra em Alagoas

. 04 Oficinas de tradições afro-brasileiras

. Produção do vídeo Gira das Tradições

. Publicação de 02 cartilhas pedagógicas

. 02 Prêmios para produção cultural das comunidades terreiro

. Seminário de Políticas Afirmativas para Comunidades Terreiro

Fevereiro 2012

Festa Popular – Praça dos Martírios

01 de fevereiro – Noite do Xangô Rezado Alto

. Cortejo das comunidades terreiro da Praça D. Pedro II (da Assembleia) até a Praça Marechal Floriano Peixoto (dos Martírios)

. Apresentação de grupos artísticos

. Saudação aos ancestrais

. Toque de Xangô com comunidades presentes

02 de fevereiro - Apresentação de grupos artísticos


Março 2012

Produção do Vídeo Gira da Tradição

Vídeo documentário de 10 minutos, intitulado “Gira da Tradição”, ilustra o pensamento das pessoas que fazem a manutenção da memória e do desenvolvimento das casas religiosas de matriz africana em Maceió. Gravado entre 2008 e 2009, junto com um grupo de jovens destas casas religiosas,registra depoimentos e diálogos com aqueles e aquelas que dedicaram suas vidas à religião dos orixás nos bairros periféricos da capital.

Publicação da Cartilha da Gira da Tradição

Pesquisa sobre os saberes tradicionais utilizados e reproduzidos, de acordo com o pertencimento às diferentes linhagens étnicas com as quais se identificam – Ioruba, Gêge, Nagô, Ketu, Angola entre outras e intercâmbio de saberes entre as diferentes linhagens religiosas

Publicação da Cartilha do Quebra

História e relatos do Quebra do Xangôs de 1912

Abril 2012

Congresso de Cultura Afro Brasileira em Alagoas

Encontro de acadêmicos, artistas e comunidades terreiro para estudo e discussão sobre a cultura afrobrasileira, em particular a vivência em Alagoas.

. O Xangô ainda é rezado baixo em Alagoas?

. Quem são e como vivem as Comunidades Terreiro do Estado?

. Quais as consequências do Quebra de 1912?

Estas e outras questões, terão espaço de discussão nos dois dias dedicados ao pensamento da nossa cultura de matriz africana. Local e data a definir.

Oficinas de tradições afrobrasileiras

. Produção e utilização de alimentos rituais

. Utilização tradicional de ervas ritualísticas e medicinais

. Ecologia e mitologia religiosa afrobrasileira

. Musicalidade nas religiões afrobrasileiras

Local e data a definir.

Exposição Presença Negra em Alagoas

Acervo de artes plásticas de artistas negros, documentos relativos ao ‘Quebra dos Xangôs de 1912’ e sobre a presença negra em Alagoas, objetos de colecionadores e elementos de significação religiosa. Local e data a definir.

Maio 2012

Seminário Políticas afirmativas para comunidade afrodescendente

O dia 13 de maio, para a comunidade afrodescendente, se transformou num dia de reflexão sobre como se deu “o fim da escravatura no Brasil” e de como as políticas públicas de reparação tem resultado no desenvolvimento da população afro remanescente de hoje. “Quais são as necessidades desta grande população historicamente desassistida, para o plano desenvolvimento futuro?” mediado por estudiosos e palestrantes, terá como publico alvo a comunidade afrodescendente, religiosos, estudantes e a sociedade em geral.

Encontro ‘Ogãs e os Tambores Falantes’

O Encontro “Ogãs e os Tambores Falantes” será um espaço de diálogo sobre o sagrado e o profano.

Iniciados das religiões de matriz africana irão discutir acerca do papel dos Ogãs nas comunidades terreiro; os ritmos, partindo das culturas Jeje, Nago, Banto, Ketu entre outras presentes nos cultos e suas contribuições à musicalidade brasileira.

O seminário “Ogãs e os Tambores Falantes “ acontecerá com práticas percussivas e diálogos mediados por estudiosos e palestrantes e será dirigido aos Ogãs, músicos, a comunidade afrodescendente, religiosos e estudantes.

Links para esta postagem |
0

Morre o cordelista potiguar Zé Saldanha

Posted by Railton Da Silva in

Aos 93 anos de idade e milhares de cordéis publicados, o autor literário morreu em Natal de complicações após cirurgia intestinal.

"Ele contava a vida em prosa e verso". É assim que a família de José Saldanha Menezes Sobrinho, o Zé Saldanha fala sobre o poeta potiguar conhecido por seus cordéis criativos que morreu na tarde desta terça-feira (9), no hospital São Lucas em Natal vítima de complicações após cirurgia do intestino delgado.

Zé Saldanha estava internado há trinta dias, após ter dado entrada na UTI para fazer uma cirurgia de emergência no intestino. Com um estilo de vida "feliz", Zé Saldanha comentava que gostava tanto de viver que queria "emendar uma vida na outra" para não deixar de protagonizar a vida.

De acordo com informações do genro de Zé Saldanha, Felizardo França, o poeta morreu por volta das 15 horas e deve ser velado no Morada da Paz de Emaús, na capela central a partir das 19h até as 11 horas da manhã da quarta-feira (10), horário em que o poeta será enterrado.

Felizardo conta que a família está abalada, mas tem recebido com alegria as homenagens feitas ao poeta de 93 anos. "Eu nunca tinha visto tanta gente no hospital, ligando e querendo saber dele", afirma o genro.

Uma grupo de amigos de Zé Saldanha está reunido em Natal para prestar as primeiras homenagens ao cordelista que deixa 7 filhos, 23 netos e 8 bisnetos.

Em conversa com o portal Nominuto.com, o genro de Zé Saldanha contou que aos 81 anos o poeta resolveu fazer cursos de infromática e aprendeu a digitar seus textos no computador. "Ele era um exemplo de superação, que podia vencer tudo e conquistar o que quisesse", conta emocionado Felizardo.

Zé Saldanha

Nascido e criado na Fazenda Piató, em Santana dos Matos, o poeta tinha os pés no interior do Estado e conservava o espírito jovem com observação do cotidiano nas mais de 300 publicações prórpias.

Saldanha publicava anualmente almanaques (livretos onde o cordelista faz previsões sobre o tempo, fornece orientações e informações agrícolas, folclóricas e religiosas baseadas no senso comum), e mais recentemente, o Dicionário de Poetas Cordelistas do Rio Grande do Norte.

Fonte: Nominuto.com



Links para esta postagem |
1

Dia da Poesia: 'como toda arte, falta valorização'

Posted by Railton Da Silva in
Em homenagem a um dos maiores nomes da poesia brasileira, o poeta do romantismo, Castro Alves, nascido em 14 de março de 1847, nesta data se comemora o Dia Nacional da Poesia. Muitos outros nomes podem se destacar no cenário nacional, entre eles Alberto de Oliveira, Gonçalves Dias, Raimundo Correia, Olavo Bilac, Casimiro de Abreu, Cecília Meireles, Jorge de Lima, Ferreira Gullar, Manuel Bandeira, Mário de Andrade, Mário Quintana, Carlos Drummond de Andrade e muitos outros.

A palavra “poesia” tem origem grega e significa “criação”. Rima, ritmo e métrica são características especiais que podem variar, dependendo do movimento literário e de sua época. No Brasil os primeiros poemas surgiram junto com o descobrimento, quando os jesuítas escreviam versos para catequizar os índios.

Outros formas de poesia surgiram depois, como o barroco (1601-1768), o arcadismo (1768-1836), o romantismo (1836-1870), o parnasianismo (1880-1893), o simbolismo (1893-1902), o pré- modernismo (1902-1922), o Modernismo (1922-1962), até os poemas de hoje, com suas mais diferenciadas formas de expressão.

No Twitter este é um dos assuntos mais comentados de hoje, com a tag #DiadaPoesia, tratado de forma bem humorada pela maioria dos internautas.

Poesia Alagoana
Como em muitas outras áreas artísticas, ser reconhecido em Alagoas é uma dificuldade para os poetas aqui do Estado. Railton Teixeira, de 24 anos, jornalista e poeta desde a época da escola, fala um pouco sobre as suas inspirações e seus poemas.

“Eu sou cordelista, poeta popular, e meus poemas tratam do dia-a-dia do povo. Somos considerados como repórteres do cotidiano. Inspiro-me nas coisas mais simples, às problemáticas do cotidiano. Lembro que a primeira vez que escrevi foi em homenagem a minha primeira professora”, conta o jovem poeta.

Railton conta que escreve histórias sobre figuras que ninguém valoriza, até grandes astros. “Escrevi sobre a morte do cantos Michael Jackson e virou tema de um dos meus cordéis. O título foi ‘O encontro de Michael Jackson com o Cangaceiro Lampião’ e, meu último cordel trata de uma ‘prosa’ entre Padre Cícero e Frei Damião. Na conversa eles comparam o nosso tempo com o tempo deles, a questão das drogas, o crack, a ‘guerra’ no Rio de Janeiro e suas profecias”, explicou.

Outra coisa que inspira o poeta, segundo ele diz, é a realidade do eu - lírico voltado para a alma feminina. “Desde criança eu sempre me interessei, desde uma rosa ao sorriso e um toque feminino, um olhar, e até mesmo a tristeza, ou alegria. A forma de falar, se expressar, momentos bons ou ruins, até mesmo um acidente me inspira, a dor humana”.

Sobre a valorização dada ao seu trabalho como poeta, o jovem diz que as pessoas de fora do Estado se interessam mais do que os conterrâneos. “Nem os governantes dão incentivo e poucas pessoas se interessam em conhecer nossa arte. É triste, mas é a realidade do artista alagoano”.

Railton Teixeira diz admirar a arte de Mario Quintana e dos alagoanos Jorge de Lima, Tchello de Barros e Ricardo Cabús.


Links para esta postagem |
0

Papel no Varal traz de volta a poesia erótica ao Theo Brandão

Posted by Railton Da Silva in
Trazendo de volta a ideia que agitou as prévias maceioenses no ano passado, o Papel no Varal retorna ao Museu Theo Brandão com uma seleção poemas eróticos do todos os tempos e de todos os cantos. O sarau acontece na quarta-feira, 23 de fevereiro, às 20h.

Ela é uma mulher que goza / celestial sublime / isso a torna perigosa”. Os versos de Bruna Lombardi se juntarão a mais 99 poetas, como Safo, Drummond, Xexeu Beleleu, Viviane Mosé, Glauco Mattoso, Chico Doido do Caicó, Marcos de Farias Costa e DH Lawrence, compondo a seleção que estará dependurada no varal de sisal.

No intervalo, a cantora e compositora Cris Braun faz a participação musical do evento interpretando canções com um toque de erotismo.

Como ocorreu no ano passado, serão bem-vindas as performances sobre os poemas feitas pelo público. Os interessados em fazer alguma interpretação mais elaborada, dentro do clima de erotismo proposto pelo evento, podem entrar em contato com a produção artística do evento pelo email papelnovaral@lumeeiro.org.

Para o idealizador do Papel no Varal, Ricardo Cabús, o período momesco, que em Maceió ocorre nas prévias, é um belo momento para pendurarmos os versos mais picantes e criarmos uma atmosfera dionisíaca.

A venda de mesas (R$ 20,00 - 4 lugares) começará na próxima sexta-feira nas lojas Ao Phamacêutico, onde a partir da próxima semana também serão distribuídos os individuais - gratuitos. Lembramos que as mesas e os individuais são limitados e que costumam esgotar com muita brevidade. Só será permita a entrada de maiores de 18 anos, portadores de mesas e individuais. Informações: 8872.1705 /reservas@lumeeiro.org.


Papel no Varal

Com a apresentação de Ricardo Cabús, os presentes podemler/interpretar quaisquer poemas do varal, desde que não seja o seu e nem sejam em sequência. O formato de evento iniciou em março de 2009, em Maceió, a partir do lançamento do Programa Minuto de Poesia, que foi criado por Ricardo Cabús e está no ar na Rádio Educativa FM, 107.7MHz, em Maceió-AL.

SERVIÇO

Papel no Varal Erótico-carnavalesco

Apresentação: Ricardo Cabús

Participação musical: Cris Braun

Dia: Quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011, às 20h

Local: Museu Théo Brandão (Av da Paz, 1490 – Centro)

Convites: Ao Phamacêutico

Mesa (R$ 20), individual (entrada gratuita)

Vagas limitadas

Classificação: 18 anos. (Será exigido documento comprobatório)

Informações: 8872.1705 / papelnovaral@gmail.com

Informações/Comentários: http://cacosinconexos.blogspot.com

Produção: Rita Moura

Fonte: cacosinconexos.blogspot.com


Links para esta postagem |
0

Últimos preparativos para colocar os pés na estrada

Posted by Railton Da Silva

Quase tudo pronto para ir a Boqueirão/PB e participar da II Flibo. Revisando os cordéis e me preparando para enviar a Editora Tupynanquim, do amigo poeta popular Klévisson Viana.

A priori não será possível levar o novo cordel – que ainda não tem nome, mas trata da prosa entre Padre Cícero e Frei Damião – mas levaremos “Doutor Rufino Beija-Flor e a revolta das mulheres de Lá de Fora” e “O encontro de Michael Jackson com o cangaceiro Lampião”, ambos serão reeditados e publicado pela Tupynanquim.

Mas antes que os leitores e aqueles que acompanham o trabalho e o dia-a-dia do – O Poeta e Palhaço – perguntem o porque não será levado o mais novo trabalho – a prosa de Padre Cícero e Frei Damião – para a Flibo, respondo logo.

Pois mais barata e em conta que seja uma publicação, isso requer custos e infelizmente em Alagoas não encontramos incentivos suficientes para que possamos da continuidade a cultura popular.

Mas quase tudo pronto e as malas já estão posicionadas. Boqueirão e amigos da Flibo me esperem que já estou chegando.


Links para esta postagem |
0

Papel no Varal em Sonoras Imagens

Posted by Railton Da Silva in
Hoje, 11/2/2011, o Papel no Varal fará parte do evento Sonoras Imagens - IV Edição. Estaremos com nosso varal de poesias misturado a várias intervenções artísticas: Orquestra de Tambores de Alagoas, Samba da Ladeira, Coletivo Frente e Verso, Projeto Acenda uma Vela, Perfomances em Dança e Djs Barão e Oluas.

O evento começa às 20h e a leitura dos poemas começará perto das 22h com duração em torno de 45 minutos. A leitura no palco, como de costume, será aberta a todos que desejarem escolher um dos poemas do varal.

A noite deve ser bem legal.

Serviço:

Sonoras Imagens - IV Edição

Orquestra de Tambores de Alagoas, Samba da Ladeira, Coletivo Frente e Verso, Projeto Papel no Varal, Projeto Acenda uma Vela, Perfomances em Dança e Djs Barão e Oluas.

Data: 11/02 (Sexta)
Hora: 20h
Local: Bar do Titio (antigo New Orleans - Após o Mirante da Sereia). Maceió - AL
Ingressos: R$ 10,00 (a venda na hora e local do evento)
Informações: 8841 7577/ 8863 7287/ 9178 9636

Links para esta postagem |

Quem esta visitando

Copyright © 2009 O Poeta e Palhaço All rights reserved. Theme by Laptop Geek. | Bloggerized by Railton Teixeira. Distribuído por Templates